A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) doou, nesta terça-feira, 24, quatro mil litros de água sanitária para auxiliar na higienização do Complexo Penitenciário da Papuda e ajudar a controlar a disseminação do coronavírus no DF. “Neste momento crítico, governo e iniciativa privada devem se unir para conter a pandemia e seus impactos na população.

A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) reconhece a importância das medidas restritivas determinadas pelo governo do Distrito Federal para preservar a saúde da população. No entanto, a CDL-DF demonstra apreensão com as consequências que a pandemia irá causar à economia e, por isso, irá propor ao GDF medidas fiscais e creditícias que possam resguardar as empresas, os empregos, a renda e a arrecadação.

A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e representantes de sindicatos informam que por determinação do decreto 40.529, de 18 de março de 2020, todos os shoppings do Distrito Federal 
Neste período as lojas estarão fechadas, mas as operações de alimentação poderão operar no formato delivery.

Em virtude do avanço do Coronavírus no Brasil, a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) divulga as seguintes recomendações para orientação dos associados.

Atendimento ao Público
– Orientamos aos nossos associados que, em áreas de atendimento ao público, seja disponibilizado álcool gel aos clientes e que a limpeza de pisos, corrimãos, maçanetas e banheiros seja feita com álcool 70% ou solução de água sanitária e com uma frequência maior.

A CDL-DF e representantes do setor produtivo do DF (Fecomercio, Sebrae e Fibra) estiveram nesta segunda-feira no Palácio do Buriti com o governador Ibaneis para pedir medidas que preservem a atividade empresarial e a manutenção de emprego, renda e arrecadação frente ao avanço do coronavírus. O setor de serviços - bares, restaurantes, hotelaria, eventos e demais atividades de entretenimento - foi eleito como prioritário pelos empresários para ser contemplado com medidas emergenciais de natureza fiscal e creditícia, como por exemplo diminuição da alíquota do ICMS de 18 para 17%.