Na próxima quinta-feira (16), Brasília recebe o Programa Nacional de Desenvolvimento do Varejo (PNDV), uma parceria da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), duas das maiores instituições especializadas em pequenos negócios e varejo no Brasil. O evento será realizado na Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF).

Para o presidente da entidade, José Carlos Magalhães Pinto, trata-se de uma oportunidade única para os lojistas (de micro, pequenas e mesmo grandes empresas) da capital. “Esperamos pelo menos 60 empresários da cidade, que vão poder entender melhor o consumidor brasiliense, conhecer ferramentas tecnológicas e, assim, se adaptar e começar a implantar a inovação nos negócios”, ressalta.

Decoração cor de rosa e distribuição de flores ainda fazem parte das homenagens do comércio ao Dia Internacional da Mulher, celebrado anualmente em 8 de março. No entanto, os lojistas mais antenados sabem que é preciso ir além das ações clichê para atender aos interesses da mulher moderna e, assim, abrir novas oportunidades de mercado.

A diretora de lojistas de shopping da Câmara dos Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), Adriana Ricci, explica que o comportamento da mulher na sociedade mudou, e o comércio necessita acompanhar essa transformação. “Até o fraldário dos shoppings, que antes ficava dentro do banheiro feminino, agora fica em um local onde os homens também podem entrar para cuidar dos bebês. Quem não se atualiza fica para trás.”

Com a crise econômica vivida pelo País, o número de desempregados é alto. No Distrito Federal, a taxa chegou a 19,33% em janeiro, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diees). Apesar desses dados preocupantes, o comércio tem reagido e contribuído para mudança do quadro.  

A pesquisa “O desemprego e a busca por recolocação profissional no Brasil”, realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) juntamente com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mostra que, no Brasil, 7 em cada 10 desempregados aceitariam um salário inferior ao que ganhavam no último emprego. De acordo com o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, isso se justifica pelos sinais de melhora que a economia tem apresentado. “As pessoas querem trabalhar e acreditam que, com a melhora da economia que todos estamos esperando, elas podem ganhar mais no futuro próximo”, afirma.

Feriados prolongados são datas favoráveis a perda e extravio de documentos – e se eles caem em mãos erradas isso pode trazer grande dor de cabeça para o cidadão. Com o carnaval de Brasília em ascensão e uma quantidade de pessoas cada vez maior nos blocos de rua, é necessário redobrar os cuidados para evitar transtornos. Mas, quando o extravio acontece, informar a polícia e os órgãos de proteção ao crédito, que fornecem serviços específicos para esses casos, pode minimizar os danos.

A preocupação com o meio ambiente e práticas sustentáveis entrou na discussão de diversos setores nos últimos anos, e com o varejo não foi diferente. A tendência mundial exige adaptações e mudanças no funcionamento das empresas, mas além de contribuir com a sociedade esse caminho também pode representar economia de recursos.  

Na segunda-feira (13), o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães, participou da cerimônia de assinatura do decreto que institui o Grupo de Trabalho para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Âmbito do Distrito Federal. A medida compõe a Agenda de 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), e norteia os rumos que o DF deve seguir nos próximos anos.