O último ano pode ser chamado, no mínimo, de desafiador. Todos os setores passaram por dificuldades e precisaram lidar com a necessidade de se readaptar às inúmeras mudanças que 2020 trouxe. Economicamente não foi diferente, por conta da pandemia do coronavírus, o comércio passou meses de portas fechadas, e algumas dessas portas não reabriram. Comerciantes com anos de experiência precisaram reaprender a atender o público em nome da segurança, do amor ao próximo e do respeito à vida.

Por conta do distanciamento social, a Fundação CDL precisou suspender os projetos e campanhas rotineiras, que eram todas presenciais. A tradicional campanha de Páscoa e a campanha Cativando Sorrisos (a van de atendimento odontológico), por exemplo, não puderam ser realizadas em 2020 por conta da pandemia. A presidente da Fundação, Andrea Vasquez, explica que a solução encontrada frente ao momento tão incomum foi “concentrar os esforços da Fundação em sanar as necessidades que surgiram ou se agravaram com a pandemia. Nosso trabalho esteve voltado para doação de alimentos, produtos de higiene e máscaras”.


“Podemos dizer que, apesar das dificuldades, o ano foi um sucesso. Estabelecemos uma parceria com a Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal. Eles conseguem mapear as necessidades das instituições locais de forma mais completa, o que foi essencial para atendermos um número ainda maior de instituições que precisavam do nosso apoio. A Fundação ajudou a sanar muitas, se não todas, as demandas trazidas pela Vara da Infância. Posso dizer que essa foi nossa principal conquista em 2020”, conclui Andrea.


Com a pandemia, a CDL Jovem também precisou reformular completamente todo o planejamento anual e adaptar os projetos à nova realidade. O coordenador da CDL Jovem, Ítalo Portela, conta que datas tradicionais para o varejo, como o Dia Livre de Impostos (DLI), precisaram ser completamente repensadas.


“O DLI foi totalmente adaptado para o formato on-line. É o tipo de evento que tradicionalmente gera aglomeração nos postos, nos shoppings e no comércio como um todo. O evento ocorreu apenas uma semana após a abertura dos shoppings. Realizamos uma parceria com as CDLs Jovem de todo o país e o evento cresceu muito. O site do DLI direcionava as ofertas dos varejistas participantes para o canal que o comerciante estabelecesse, fosse seu site, aplicativo de mensagem ou rede social. Ao final, recebemos diversos feedbacks positivos de conversões de vendas. O evento foi um sucesso”, conta Ítalo.


Ainda esse ano, a CDL Jovem realizou a 22ª edição da Feijoada Sorriso Aberto, dessa vez em formato take-out. A falta de aglomeração não diminuiu a empatia das pessoas com a causa. A ação resultou em mais de uma tonelada de alimentos, que foram doados para três instituições do DF. O coordenador da CDL Jovem resume 2020 como um ano em que foi preciso “reinventar, inovar e empreender com novas atitudes para contornar os obstáculos trazidos por uma nova realidade que pegou o mundo de surpresa”.