A última pesquisa realizada pela CNDL/SPC Brasil constatou que 40% dos brasileiros compram pelas redes sociais. A pandemia tornou esses canais de vendas ainda mais necessários para os lojistas se manterem próximos dos seus clientes. Entretanto, é importante lembrar que o comércio online não tem as mesmas obrigações tributárias que o físico e o ambiente virtual propicia a informalidade.

No comércio online, muitas vezes, produtos e serviços são vendidos mais baratos e atraem mais consumidores. Essa concorrência é injusta e afeta o varejo físico, que é grande gerador de empregos, renda e impostos. É fundamental manter a competitividade, mas ela precisa ser saudável para incentivar um ambiente de negócios justo e beneficiar a todos.

Wagner Silveira Jr.
Presidente da CDL-DF