Na última quarta-feira, 16, lideranças do comércio e serviços se reuniram com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, em um almoço para apresentarem as principais demandas do setor. É um consenso entre as entidades que o desenvolvimento do país começa pelo varejo, responsável por 17% do PIB e por mais de 27 milhões de empregos. O foco da conversa foi as reformas estruturais que estão em tramitação no Congresso Nacional e precisam ocorrer o quanto antes, sendo a reforma tributária a mais urgente. A desburocratização e a PL 178/2021 também foram assunto no encontro.

De autoria do deputado federal Efraim Filho, presidente da Frente de Comércio e Serviços (FCS), o projeto de lei descomplicaria a entrega das obrigações acessórias, tornando o processo mais ágil e eficaz. Isso facilitaria não só para os empresários, mas também para o fisco.   

Os líderes, entre eles o presidente da CNDL, aproveitaram para reforçar a oposição ao veto do presidente da República ao Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no âmbito do Simples Nacional (RELP), que facilitaria o pagamento de dívidas sobre tributos atrasados.

Para haver crescimento é preciso simplificar e desburocratizar para as micro e pequenas empresas. A prioridade deve ser proporcionar a melhora do ambiente de negócios.

 

Wagner Silveira Jr.

Presidente da CDL-DF