A Receita Federal divulgou nesta segunda-feira que a média diária de vendas com nota fiscal eletrônica (NFe) atingiu R$ 23,9 bilhões em junho, o maior patamar deste ano. Esse resultado é 15,6% maior do que as de maio, e 10,3% superior a junho do ano passado. De acordo com a Receita, o movimento agregado da NFe capta, principalmente, as vendas entre empresas de médio e grande porte, bem como as vendas não presenciais de empresas para pessoas físicas. Ou seja, o resultado envolve tanto as transações físicas quanto digitais.

Embora ainda seja cedo para falar em uma tendência de retomada da atividade, a Receita Federal pontua que o movimento demostra uma recuperação gradual. Após o pico de R$ 180 bilhões na última semana de maio, as semanas de junho mostraram vendas superiores a R$ 150 bilhões, exceto a semana do feriado de Corpus Christi (R$ 137 bilhões). A última semana de junho registrou um resultado de R$ 177 bilhões. As quantidades de notas fiscais eletrônicas (NFe) subiram gradualmente após o choque da Covid-19 (semana 13) e permanecem maiores que no início do ano.

Vendas online
Neste ano, a despeito da pandemia do novo cororavírus, o comércio eletrônico cresceu em quantidade e em valor. Não por caso, a tendência de elevação se intensificou a partir de março – início da quarentena e ações de isolamento social. As variações percentuais em valor foram de 9,3% em março, 3,3% em abril, 15,5% em maio e 19,2% em junho. Em relação igual mês de 2019, a média diária de vendas apuradas com a NFe em 2020 cresceu 20,6% em março, 17,5% em abril, 37,4% em maio e 73,0% em junho.

Fonte: Consumidor Moderno