“O propósito de uma marca tem a ver com o porquê ela faz e a razão dela existir. Precisa estar conectado com a proposta de valor e a missão“, explicou Fátima Merlin, primeira palestrante da 56ª Convenção Nacional do Comércio Lojista (CNDL), realizada hoje (13) e amanhã (14), em Campos do Jordão (SP), pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDLs).

Fátima Merlin participou do painel “Propósito no varejo: você precisa achar o seu”, que também contou com a presença do publicitário Samuel Normando. Economista de formação e especialista em Marketing, Fátima atua há mais de 20 anos nas áreas de varejo, marketing e comportamento do consumidor. Ela é sócia fundadora e diretora executiva da Connect Shopper, além de palestrante, professora e pesquisadora.

Segundo Merlin, as marcas com propósito caíram no gosto do consumidor: 80% dos consumidores em todo o mundo se sentem e percebem mais conexões com a sua comunidade e 90% esperam que conexões recém-descobertas com a comunidade permaneçam sólidas, mesmo com o fim da pandemia. Isso significa que as empresas precisam estar comprometidas com a sociedade, para além de buscar lucro e longevidade.

“Mais do que ser um valor importante, pensando no futuro e na sustentabilidade da empresa, o propósito se tornou um aspecto essencial porque o shopper passou a demandar. Um estudo recente mostra que 88% dos consumidores escolhem marcas que tenham propósitos claros e alinhados com seus valores”, destacou a expert.

O desafio dos varejistas é traduzir o propósito de valor nos 4 P´s do Marketing (produtos, preço, praça e promoção), ou seja, na prática. “O mantra do varejo nos dias de hoje é: produto acessível, visível e disponível. Se não for assim, o lojista perde venda, conversão do cliente e disponibilidade”.


Publicidade e propósito


Samuel Normando é publicitário e, há mais de 3 anos, líder criativo da Publicis Brasil, a melhor agência do ano pelo Prêmio Caboré. Ele já teve seu trabalho reconhecido internacionalmente, chegando a ser premiado em Cannes.

Durante sua apresentação, trouxe exemplos de negócios que estão lucrando com o propósito. De acordo com o especialista, 70% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos e serviços que estejam alinhados com seus valores e concepções de vida. “Propósito é você olhar para a essência do seu produto e como impacta o mundo lá fora”, afirmou Samuel Normando, que também lembrou que propósito tem valor e custo.

Normando revelou ainda como utilizar o propósito nas estratégias de comunicação das empresas. “Propósito se faz com empatia”, destacou, explicando que a empresa precisa se colocar no lugar do consumidor. “Propósito é pensar no outro, é pensar no legado da marca. É abraçar a causa e entender que faz parte das transformações”, concluiu.

Fonte: Varejo S.A