A Accenture apresentou nessa semana, durante o Ciab 2017, sua pesquisa global Distribution & Marketing Consumer, que aborda aspectos como a experiência do cliente e a transformação digital dos bancos e das empresas de serviços financeiros. O estudo mostra que 7 em cada 10 consumidores estão dispostos a utilizar serviços baseados em “robô advisor” – consultoria e serviços gerados por computador, sem orientação humana – para seus serviços bancários, de consultoria financeira e seguros.

 

  Os consumidores indicaram que os principais atrativos para o uso de plataformas robo-advice seriam a perspectiva de serviços mais rápidos (39% globalmente e 46% no Brasil) e mais baratos (31% globalmente e 30% no Brasil), além de considerarem a inteligência dos computadores mais imparcial e analítica que a dos humanos (26% globalmente e 25% no Brasil).

 

Na prática, para quem trabalha com produtos ou serviços, a dica é primeiro mostrar o valor para depois definir preço, segundo explica Eduardo Ferraz, autor do livro “Gente que convence” (Ed.Planeta), em mais um dos vídeos de carreira.

Assista ao vídeo aqui.

Fonte: Exame

As vendas do comércio varejista subiram 1% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, informou nesta terça-feira (13/6) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O registro é o mais alto para o mês desde 2006, quando o índice avançou 1,1%. Em abril de 2008, o indicador também subiu 1%.

 

Na comparação com abril de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,9% no mesmo período deste ano. Mesmo com a alta de 1%, o nível de vendas do varejo está 9,9% abaixo do pico histórico, registrado em novembro de 2014. Nesse confronto, as projeções iam de uma retração de 3% a crescimento de 1%, com mediana negativa de 1,2%. Foi a primeira alta nessa base de comparação após 24 meses seguidos de queda. As vendas do varejo restrito acumularam retração de 1,6% no ano e queda de 4,6% em 12 meses.

O número de endividados no Distrito Federal vem caindo mais rápido que a média nacional, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A inadimplência registrou recuo de 4,27% em maio em comparação com o mesmo mês de 2016. O restante do país teve uma queda de 4,84% no número de pessoas com contas atrasadas. Os dados foram divulgados pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL/DF).
 

 

Segundo José Carlos Magalhães Pinto, presidente da CDL/DF, os resultados está relacionado a uma melhor educação financeira dos brasilienses e o pagamento em dia do governo do DF aos servidores, tanto do salário, quanto do 13º. Além disso, a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aliviou o orçamento de muitas famílias.

Abrir uma franquia traz riscos menores pelo fato de se tratar de uma marca conhecida no mercado e, por isso, faz mais sucesso em períodos de crise. No entanto, é necessário motivar a equipe.

Assista ao vídeo aqui.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

Subcategorias