Uma pesquisa realizada com mais de 600 empresários do comércio e serviços feita pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), indica que a maioria absoluta deles gostaria que houvesse uma reforma tributária com urgência. 92% dos entrevistados esperam que a economia brasileira cresça a partir de uma mudança no sistema tributário atual.

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que 61% dos entrevistados afirmam que pretendem fazer compras na Black Friday este ano. O Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, José Carlos Magalhães concedeu entrevistas ao longo da semana, sobre as expectativas do comercio local para a data.

Este ano, a Fundação CDL realizará a campanha Natal da Inclusão Digital. Por ocasião da pandemia e do consequente isolamento social, no lugar da tradicional festa de fim de ano, promovida pela Fundação há 12 anos, nove instituições receberão de presente de Natal computadores novos. No total, 368 crianças e adolescentes serão beneficiados pela ação. 

Os débitos tributários das pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional que vencerem durante o estado de calamidade decorrente da pandemia de covid-19 poderão ser adiados para meados de 2021, caso seja aprovado o Projeto de Lei Complementar (PLP 254/2020) que estabelece a moratória.

Segundo o texto apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), ficará instituída moratória para todos os tributos abrangidos pelo regime do Simples Nacional com vencimento entre 1º de abril e 30 de dezembro de 2020. As pessoas jurídicas que aderirem à moratória deverão pagar a dívida tributária até 30 de junho de 2021, com possibilidade de parcelamento em até 90 meses.

Como uma das datas mais importantes e estratégicas para o cenário do varejo, a Black Friday, que já é muito esperada, ganha ainda mais expectativa em 2020. O que todas empresas esperam? Que esse ano seja melhor que o anterior e que 2020 nos traga todas as condições favoráveis para isso. A atual situação econômica que a pandemia trouxe fez o comércio eletrônico disparar e 40% dos brasileiros passaram a comprar mais por e-commerces, mesmo com os cortes de salários. Mas 2020 também foi o ano da primeira compra online para 13% dos brasileiros, segundo pesquisa da Nielsen.